Um espaço para fanfics com temas de diversos animes.
 
InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Digimon: Seven Deadly Sins

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
xKai



Mensagens : 3
Data de inscrição : 02/03/2016

MensagemAssunto: Digimon: Seven Deadly Sins   Qua Mar 02, 2016 8:06 pm



P R Ó L O G O
O Progresso da humanidade.

( Opening ~ Fire (Wada Kouji) Versão Brasileira adaptada por Wagner Thomazoni )

Criada acidentalmente pelos humanos existe uma outra dimensão que divide o mesmo espaço que a Terra, ambos são separados por uma frágil barreira digital, que caso seja quebrada pode colocar ambos os mundos em rota de colisão um contra o outro. No auge da guerra fria, entre as décadas de 60 e 70 os vários cientistas e pesquisadores que construíam a rede global de comunicações criaram acidentalmente um espaço para onde toda essa informação era enviada, este espaço foi chamado de Mundo Digital, sua capacidade é considerada como sendo infinita, pois tudo o que existe pelos computadores do mundo inteiro hora e meia passam por lá e para lá também são enviados, mesmo que estes estejam sendo eliminados. Um pouco mais à frente, na década de 80, um grupo de estudantes se empenharam em criar formas de vida digital, algo que se assemelhassem muito com mascotes, mas que não dessem tanto trabalho, com isto aos poucos foram surgindo vários jogos de videogames, até que finalmente os monstros digitais foram criados, apesar de que suas imagens nos jogos não fossem muito bem desenhadas, isto devido a falta tecnologia. Eles foram reproduzidos na forma de cartas, e assim foi criado um jogo que crianças e adultos do mundo inteiro passaram a jogar. O projeto foi deixado de lado, alguns dos envolvidos alegaram que era algo impossível e com sua tecnologia atual não teria como prosseguir com aquele sonho, que era na verdade uma grande ilusão. Apesar do projeto ter sido abandonado, tudo aquilo que já havia sido criado ficou na rede, ganhando vida mesmo que de forma silenciosa, conforme os humanos se desenvolviam os dados que eram passados acidentalmente para o mundo digital também estavam evoluindo, e assim ganhando vida.

A informação na rede começou a ficar sobrecarregada conforme era mais explorada pelos seres humanos, até que fendas na barreira digital começaram a se abrir de forma espontânea, algumas vezes expulsando os moradores do mundo digital, agindo como um portal entre os mundos. Para impedir que isto se agravasse, foi criada a DATS (Digital Accidents Tactics Squad), que dirigida por Satsuma Rentarou se tornou uma sólida organização. Desenvolveram uma avançada tecnologia e em trabalho junto com o serviço secreto nacional criaram monstros digitais que trabalham ao lado dos humanos enviando todos aqueles que por acidente apareçam em nosso mundo. Quando derrotados, os digimons se transformam em ovo e este ovo é enviado para o mundo digital através de um transportador, onde ele eclodirá novamente e seguirá com sua vida. Quando uma destas criaturas invade o nosso mundo, ele é apelidado de "selvagem", primeiramente tentam eliminá-lo antes que ele consiga se materializar neste mundo, mas nem sempre isto funciona e quando acontece os agentes da organização são enviados para cuidar pessoalmente da situação, de forma que se mantenha o sigilo. Atualmente a DATS é comandada por Yamaguchi Sayuri, uma jovem mulher ruiva de olhos com a mesma tonalidade, mas estes possuem um brilho especial, perceptível mesmo através das lentes de seus óculos. Quase sempre está trajando roupas curtas, um pouco que provocativa já que dançar é um de seus hobbies favoritos, muitos acabam por pensar em Sayuri como uma pessoa séria.



" Uma nova história está para começar e mais uma vez a aventura se digi-transforma."








06:30 AM Tóquio - Odaiba • No bairro de Minato está localizada uma grande ilha artificial chamada Odaiba, aqui não é apenas um ponto turístico ou local para a prática de esportes náuticos, um número incontável de pessoas também vivem aqui, assim como também é localizada o prédio da estação da TV Fuji. Próximo a uma das várias praias artificiais de Odaiba está um conjunto de apartamentos chamado Odaiba Mansion. Neste prédio além de outras muitas pessoas, vive Tsurugi Shinsuke, filho de um importante homem de negócios. Está muito habituado com jogos de videogames, uma vez que seu pai trabalha nesta indústria, estuda na escola secundária de Odaiba, onde também é o capitão do clube de Kendo. A manhã estava relativamente fria, as janelas de seu quarto estavam todas fechadas, porém o rapaz de cabelos negros e olhos azuis já estava de pé, terminando de fazer sua cama. Feito isto, se dirigiu para a cozinha, onde uma mulher que trajava um uniforme de doméstica o aguardava com seu café da manhã já pronto. Naquela pequena mesa o garoto olhou para os assentos fora do lugar e para alguns farelos na mesa, que indicava que alguém havia comido ali havia pouco tempo.

Então... Eles já foram? – perguntou com um olhar vazio.

– Estavam bem apressados, seu pai nem sequer terminou de comer, tive que embrulhar para ele. – disse a empregada.

A empregada em questão era uma moça jovem de cabelos castanhos, cerca de 1,65 de altura, pele clara e belos olhos verdes, muito atraente, mas o jovem evitava de a olhar nos olhos naquela manhã, parecia um pouco triste por mais uma vez acordar e não ver seus pais, sabia que chegariam tarde e nem mesmo durante a noite iria os ver. Não levou muito tempo para que aquelas torradas amanteigadas com geleia de morango fossem totalmente consumidas, feito isto o garoto se dirigiu para o toalete onde tratou de escovar os dentes e por fim saiu de casa, já estava na hora de ir para escola. Caminhava pelo parque que ficava próximo a escola, como a manhã estava fria o garoto trajava roupas de manga cumprida, assim como um capuz, este último possui detalhes que mais se assemelham a orelhas de coelhos com faixas azuis. Tratava de colocar seus fones de ouvido e aparentava satisfeito ouvindo alguma música, provavelmente algum J-Pop ou até mesmo Rock, sua aparência parecia a de alguém bem calmo enquanto vagabundeava por ali aguardando o horário de entrada.




Nome: Tsurugi Shinsuke
Idade: 16
Profissão: Estudante - Cursando o segundo ano do colegial.
Afiliações: Clube de Kendo - Capitão.
Hobbies: Jogar games.







De algum lugar desconhecido, observando o rapaz através de um monitor estava uma silhueta sinistra, com um sorriso amedrontador. Proferiu com aquela voz robótica e sinistra:

– Alvo na mira. Status de Digisoul... Amadurecendo... Baixando novas informações... – dizia. – Buscando por Digisoul compatível... Download em 31%.




CONTINUA...
Invasão! Monstros digitais?
Notas:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
xKai



Mensagens : 3
Data de inscrição : 02/03/2016

MensagemAssunto: Re: Digimon: Seven Deadly Sins   Qua Mar 02, 2016 8:07 pm

C A P Í T U L O  • 0 1
Invasão! Monstros Digitais?



09:10 AM Escola Secundária de Odaiba • Algum tempo já havia se passado, logo já estava na hora do intervalo, onde os estudantes tiravam algum tempo para lanchar, colocar a conversa em dia e quem sabe esfriar um pouco a cabeça após algumas horas de aula. Enquanto os estudantes daquela escola estão usufruindo normalmente de suas vidas uma estranha sombra espreita, silenciosamente e sem deixar rastros. Uma figura sombria, bípede, de baixa estatura, bem magrelo e já de idade avançava observa aquela escola, mesmo estando no lado de fora daqueles grandes portões, que naquela altura estavam fechados. O homem de baixa estatura, pouco ou quase nenhum cabelo, apenas na parte de trás da cabeça, sobrancelhas bem grossas e um bigode seguido por uma barbicha, todos os seus pelos faciais, incluindo o cabelo eram loiros. O homem ajeitava levemente sua barbicha, enquanto abalizava um estranho apetrecho em seu antebraço esquerdo.

– Por Yggdrasil... Os sinais enviados estavam corretos, esta escola em particular... Abriga alguns digi-espíritos promissores. – disse o homem. – Mas existem dois bem fortes. Anubimon, por favor me diga como está o Download. – do interior daquele apetrecho, onde havia uma tela de led, uma estranha figura que em muito se assemelhava com um cão aparentava conversar com o velho homem.

– Download em 72%. – pausou. – Os digi-espíritos destes dois indivíduos batem perfeitamente com os dados dos digimons que estão sendo baixados na rede. – informou. – Parece que aquela jovem age com rapidez.

– Gwaha! – riu. – Isto certamente... Mas também é uma pessoa um tanto precipitada, fazer isto com duas pessoas de uma única vez... Baixar dois digimons de uma só vez para cá? E pra piorar um deles carrega um péssimo legado em sua vida passada... O que deu na cabeça dela para trazer de volta um dos "Dark Masters"? – coçava sua barbicha, que naquela altura já estava mais do que bagunçada. – O mais incrível...Ou mais assustador... Talvez seja o fato de os dados deste digimon bater perfeitamente com um dos indivíduos.

– E quanto ao outro digimon? Um dos maiores guerreiros que nosso mundo já presenciou. – dizia o canino intitulado de Anubimon.

– Ah... Mas ele também é um mistério, ele não tem um lado específico, luta pela justiça usando suas próprias mãos como arma. Mas isto foi em outra vida, não é mesmo? Desta vez eles não possuem aquelas memórias, estarão recomeçando sua vida... Estão sendo guiados para este mundo por algum motivo. – explicava. – Mesmo que aquela mulher lhes tenha mostrado um caminho, eles estão o seguindo por conta própria... Digimons que se perdem neste mundo costumam ser selvagens, mesmo quando entram na fronteira com a rede. Estes dois até o momento estão calmos, apenas esperando que o download seja concluído... E que enfim se materializem com suas formas físicas.






12:00 PM Escola Secundária de Odaiba - Sala 2B • Estava por encerrada as aulas naquele período, iria começar agora o segundo tempo de intervalo, onde os alunos iriam almoçar ou fazer quaisquer que sejam suas atividades de interesse. Após este período de intervalo começará o tempo dedicado aos clubes, existem vários deles pela escola, desde atletismo e futebol, até os mais técnicos como caligrafia e xadrez. Naquela sala de aula onde haviam cerca de vinte assentos, estava Tsurugi Shinsuke mais uma vez, guardava seus pertences em sua mochila, uma vez que o sinal anunciando o intervalo havia tocado. Senhorita Matsumoto, a bela professora de estatura mediana, belos olhos verdes e longos cabelos castanhos. Apesar de utilizar roupas um tanto quanto formais, sua beleza servia como um estímulo para boa parte dos alunos, que assim prestarem atenção em suas aulas.

– Shin! – exclamou Makoto.




Nome: Saito Makoto
Idade: 16
Profissão: Estudante - Cursando o segundo ano do colegial.
Afiliações: Clube de Xadrez
Hobbies: Vadiar pelas casas de jogos eletrônicos.





Makoto é um rapaz de estatura mediana, possui exatamente a mesma altura que Shinsuke. Seu cabelo, assim como seus olhos são de uma tonalidade clara de castanho, utiliza um cachecol amarelo a maior parte do tempo e quase sempre é visto trajando a versão cinza do uniforme escolar. É uma pessoa bem espontânea, não tem vergonha de dizer o que sente, se tornando uma pessoa bem inconveniente certas vezes. Mas no geral é uma pessoa bastante sociável, que é amigo de quase todos em sua turma. O rapaz colocava sua mão direita no ombro de Shinsuke ao mesmo tempo em que chamava sua atenção.

– Você não vai para as aulas de Kendo, não é mesmo? – perguntou retoricamente. – As férias de verão vão começar em breve sabe... Duvido muito que os outros caras vão aparecer lá. – tagarelava Makoto.

– Não ligo se eles não irão, mas como capitão do clube é meu dever ir, por tanto irei sim. Mesmo que eu vá treinar seguindo minha própria sombra. – resumiu.

– Que pessoa mais dedicada... Fazemos da seguinte maneira! Vamos ao fliperama! Qual é... Não vai recusar um joguinho logo de noite, não é mesmo? – pausou. – Se não for, posso acabar quebrando o seu recorde, por acidente é claro. – proferiu Makoto, com um sorriso diabólico em sua face.

– Se eu disser que vou, você vai parar de me perturbar durante o intervalo? – perguntou.

– Mas é claro que sim, palavra de honra!

– Está bem então... Depois do treino de Kendo eu vou até lá... Mesmo que o fliperama seja novo, duvido alguém quebrar meu recorde. – exibiu-se. – Ah, Makoto! – chamou. – Não esquece de levar aquelas cartas que eu te emprestei outro dia.

– "Essa não! Ele lembrou..." – pensava.

– Ah... Claro que sim, até mais então!




12:10 PM Escola Secundária de Odaiba - Terraço • Enquanto algumas pessoas já dirigiam-se para seus respectivos clubes, ou mesmo para a lanchonete comer alguma coisa, uma pessoa em particular tinha como preferência ficar isolado na parte mais alta da escola. Não havia ninguém por ali, ninguém que não fosse aquele rapaz de longos cabelos acinzentados que trajava um uniforme preto, que em muito se assemelhava com um uniforme militar, porém este usava de um sobretudo com alguns detalhes em dourado. Aquele era o uniforme do clube de xadrez da escola.




Nome: Kageyama Masaki
Idade: 17
Profissão: Assistente administrativo. Kensuke Eletronics - Cursando o Terceiro ano do colegial.
Afiliações: Clube de Xadrez - Capitão
Hobbies: Assistir filmes e ouvir músicas.





Uma mulher se aproximava, esta era Senhorita Matsumoto, uma das professoras do Segundo ano do colegial, havia dado aula para Masaki no ano anterior, onde acabou desenvolvendo uma forte amizade com o inteligente rapaz.

– Masaki-kun, não deveria estar no clube de Xadrez? – perguntou de braços cruzados e batendo o pé.

– E por acaso vai ter alguém lá? Apenas o clubes esportivos como futebol, basquete, atletismo e coisa do gênero estão com algum movimento esta semana... O clube de xadrez não passava de um pretexto para grande maioria evitar aulas desnecessárias. –  respondeu de prontidão, com um ligeiro ar de desânimo.

–  Vai trabalhar hoje? –  perguntou.

–  Não, é minha folga. Devo ir até o novo fliperama que abriu semana passada, é perto de Shinjuku. Não quer me acompanhar? – perguntou.

– Esses lugares não são pra mim, mesmo eu sendo muito jovem sou uma professora, não sou? Tenho que andar na linha. –  respondeu com um sorriso.

–  As vezes eu até esqueço, já que não é mais minha professora, mas de qualquer maneira, eu devo ir até lá hoje. Tem sido um pouco entediante no trabalho.

–  Será bom pra você, aproveite. –  disse a professora se despedindo.





12:20 PM Yokohama - DATS Center • Dentro daquela grande estrutura localizada na costa de Yokohama. Naquela sala repleta de vários computadores e telas, uma quantidade infinita de alertas surgiam em vários daqueles visores. Luzes vermelhas e amarelas piscavam de todos os lados, uma voz robótico dizia "DIGITAL WARNING" incontáveis vezes. Vários pessoas acompanhadas de seres estranhos circulavam no recinto, onde tentavam de todas as maneiras possíveis resolver aquele problema.

– O que está acontecendo? –  proferiu a mulher ruiva que estava no centro da sala.




Nome: Yamaguchi Sayuri
Idade: 21
Profissão: Tenente Coronel da filial japonesa da DATS.
Afiliações: Serviço Secreto - DATS
Hobbies: Atuar em peças de teatro, utilizando seu alter ego.





– Comandante! O Download dos indivíduos DATA 26 e Vírus 57 estão quase prontos, mais um pouco e poderão ser materializados! – proferiu um homem fardado que estava utilizando o computador central.

– Então qual é o problema? – perguntou a mulher.

– Data 26 e Vírus 57 estão sendo perseguidos por dados corrompidos que estão vagando pela fronteira da barreira digital.

– Tsc... Nos descobriram. – trincava os dentes. – Existe alguma maneira de ativarmos o projeto "Zeus" agora?

– Negativo, Tenente! – A rede se encontra muito instável, não teria como realizar o projeto Zeus de forma que não afete Data 26 e Vírus 57! – pausou por um instante, enquanto recebia novos dados. – Iniciaram um combate!

– Malditos demônios... Como ficaram sabendo sobre nossa investida...? – se perguntava a mulher, bastante irritada.




??:?? ?? Fronteira digital - ??? • Um espaço totalmente caótico, haviam destroços de arquivos e pastas flutuando por todos os lados, não havia especificamente um piso, os seres que ali viviam, deveriam literalmente caminhar sobre o ar, naquele piso imaginário. Uma infinidade de pixels espalhados para todo o lado junto de poeira digital, haviam muitas janelas que eram atalhos para muitas pastas e arquivos que outrora foram excluídos do mundo real. Era como se fosse uma enorme lixão, onde tudo aquilo que era desnecessário para os computadores humanos era despejado.

Pico Darts!

Sparkling Thunder!

Inúmeros cubos pixelados perseguiam duas estranhas criaturas, uma delas era um estranho animal vermelho com nove caudas pontudas, parecia um tipo de raposa, misturado com algum tipo de felino. O outro era mais evidente, um morcego negro com detalhes da mesma cor, porém em tonalidade mais clara, no topo de sua cabeça era desenhada uma caveira de cor branca. Assustados ambos atacavam os dados que os perseguiam. O animal vermelho carregava uma grande quantidade de energia elétrica em suas nove caudas e então atirava contra os dados na forma de um grande raio. Já o morcego materializava pontos roxos em pleno ar, onde surgiam pequenos buracos por onde saiam várias seringas pontiagudas, contento uma estranha toxina, na direção dos cubos digitais. Porém era tudo em vão, os ataques simplesmente os atravessaram.

–  Mas que coisa, isso não vale! Nem sequer podemos acertar vocês, seus covardes! – dizia o morcego.

– Nada que tentamos funciona, temos que continuar correndo na direção do portal! – exclamava a criatura vermelha.

– Mas que vergonha... Um tipo vírus como eu me aliando com um digimon do tipo dados...

– Tente ver isto como uma nova possibilidade! – dizia o vermelho. – Mas por enquanto, apenas corra, digo voe o mais rápido que puder.





17:30 PM Escola secundária de Odaiba - Kendo Club • Poucos alunos haviam aparecido, mas ainda assim fora o bastante para que a aula de Kendo seguisse como o planejado. Após o término da mesma, Shinsuke despediu-se de seus companheiros enquanto limpava o suor que escorria de sua testa com uma toalha. O vestiário do clube era bem grande e provido de vários armários com cadeados onde cada um dos membros possui o seu, guardando ali o que lhe era necessário, como equipamento, toalhas, roupas íntimas e outros itens, até mesmo aparelhos de celular. Após uma boa ducha o garoto terminou de arrumar sua mochila apenas com o que era essencial para ir até o fliperama com seu amigo Makoto. Mas fazia questão de limpar sua shinai com bastante esmero antes de fechar as portas do clube e ir embora.




18:05 PM Yurikamone Lines → Shinjuku • O jovem de cabelos negros já havia entrado no metrô que o levaria para a estação de Shinjuku, mas antes disto o trem ainda passaria por Shimbashi e Akasaka-Mitsuke, iria levar aproximadamente meia hora até que ele chegue no local desejado, onde irá se encontrar com Makoto no mais novo fliperama da cidade, uma semana antes, quando o estabelecimento fora inaugurado ambos já haviam passado por lá, esta seria a segunda vez que iriam. Por ironia do destino, mesmo que os jovens não tivesse combinado um horário exatamente, eis que Makoto o avista no interior daquele veículo, ao ver o escandaloso jovem logo fez questão de anunciar que estava ali.

– Shin! Shin! – exclamou Makoto.

– Você... – disse Shinsuke enquanto tirava o fone de ouvido, com uma expressão um tanto quanto tediosa.

– Que cara é essa? Pense nas gatas que vamos encontrar lá!

– Não sei se um fliperama é o lugar ideal para se arrumar algum encontro. – proferiu. – Mas de qualquer forma, devem haver algumas garotas lá... Olhos esbugalhados, cabelos bagunçados... Suor escorrendo pela testa, e com prováveis problemas sociais.

– Cara... Você precisa sair mais... Esta é a sua opinião sobre as garotas que frequentam casas de jogos... Parece que você nunca foi em um fliperama em um dia como hoje. Hehe... – disse Makoto com um olhar malicioso.

– Em um dia como hoje? perguntou curioso.

– Hoje é o dia rosa! As garotas pagam apenas a metade do valor de todos os bilhetes! – exclamou com empolgação. – Em outras palavras, haverão outras, que devem fugir bastante desta sua descrição.

– Sei... Nesse caso, que tal uma aposta? – perguntou Shinsuke, um pouco mais decidido.

– Pode falar!

– Se você conseguir, um encontro que seja... Eu deixo você ficar com aquela coleção de cartas, e aí?

– "Ah... As cartas... Ele percebeu que eu havia as trago... Não queria ter que devolvê-las agora..." – pensava Makoto. – Combinado então... Tudo que eu preciso fazer então é arrumar um encontro... Hehe! Moleza! – disse. – "Só que não!" – disse para si mesmo.




18:10 PM Yokohama - DATS Center • Na base da DATS, estava tudo uma loucura. Luzes piscantes e sons de alertas já estavam dando dor de cabeça para os vários agentes que trabalham arduamente para resolver aquela situação, mas nada parecia estar funcionando, até que um raio de esperança surge, com uma aparição um pouco inusitada. Em um dos muitos televisores, surge um velho de cabelos loiros, assim como seus pelos faciais, a tenente coronel logo que o reconheceu percebeu do que se tratava.

– Dr. Omega! – exclamou.

– Olá! – exclamou Omega, com uma estranha empolgação. – Parece que o pessoal da DATS precisa de uma mãozinha, não é mesmo?

– Parece que o senhor não deixa escapar uma não é mesmo... Se já sabe da situação, poderia nos ajudar.

– Já está feito... Hoho... – disse inadvertidamente o velho ancião. – Data 26 e Vírus 57... Ou mais precisamente Elecmon e PicoDevimon... – olhou para seu relógio de pulso. – Anubimon, relatório por favor.

– Download 100%! Os indivíduos já foram materializados no mundo real de forma intacta, devo rastreá-los? – perguntou a figura canina que aparecia no visor.

– Não é necessário, estes dois serão guiados diretamente até aqueles dois.

– Mas que problema... Enfim, agradeço por nos ajudar Dr... – proferiu a mulher lhe fazendo uma reverência.

Até que mais uma vez o alarme disparava, mas desta vez ecoava em um tom ainda mais alto, as telas dos computadores mostravam uma figura sinistra e uma variada informação sobre o que estava por vir, até que um homem se levantou, dirigiu-se até onde estava a tenente e fez o relatório.

– Selvagem detectado! Ele usou a fenda que utilizamos para transportar Data 26 e Vírus 57! – Selvagem no estágio adulto... Sua presença está criando uma "Digital Zone" em plena estação de Shinjuku!

– Tsc... Mais essa agora? Chamem Hasegawa Asuka imediatamente! Informe-as coordenadas do selvagem imediatamente! – disse. – Você! Quero que siga os rastros de Data 26 e Vírus 57 e não deixem que eles escapem de nós!

– Não será necessário, senhorita tenente. – proferiu Omega. – Deixe que Anubimon e eu cuidamos destes dois. Farei com que eles cheguem até suas outras metades.

– Está bem, conto com você Dr. Omega. – dito isto a mulher se dirigiu até o computador principal, onde começou a monitorar a Digital Zone.





18:15 PM Shinjuku Station • Pelos arredores da estação uma densa e fria neblina envolvia uma grande área, inclusive alguma parte do túnel que conectava a estação. Era como se fosse um grande globo de névoa, no interior daquela coisa o espaço começava a ser distorcido, até que surge uma fenda esverdeada e uma grande criatura negra com olhos vermelho-sangue emerge, levantando vôo com suas asas desproporcionais em relação ao tamanho de seu corpo, suas grandes unhas de cor também rubra eram intimidadoras, mas não mais do que seu tamanho.



CONTINUA...
Batalha na estação. Terror, Devidramon!


Prévia: De repente surge uma estranha neblina, que aliada com uma criatura feroz causa pânico e destruição na cidade. Com a ajuda de um velho misterioso, dois jovens se encontrarão com os digimons e a batalha enfim tem início. Não percam o próximo episódio de Digimon, é agora que a aventura se digitransforma!

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Digimon: Seven Deadly Sins
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» [Tópico 1]Saint Seiya Ω - Novo Anime da série Saint Seiya.
» [Megahouse] - Digimon Adventure - Tachikawa Mimi e Palmon
» [Outras Coleções] Digimon D-arts

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Fanfiction Universe :: Fanfiction :: Fanfics-
Ir para: